segunda-feira, 21 de julho de 2014

VILLA DEI CAMPI

VILLA DEI CAMPI, em Gavardo provincia de Brescia Itália, é uma "Boutique Hotel in the Countryside" muito interessante. Na Itália existem muitas casas de fazenda chamadas de "cascine" e esta é uma reforma e adaptação a pousada de uma delas. O "business" está ligado à natureza, produtos biológicos, alimentação natural e auto produção, é um SPA sustentável de luxo. Como não podia deixar de ter a piscina é totalmente natural e biológica sem uso de CLORO. Estas atividades de negócio estão em grande expansão apesar de tanta crise na Itália.


Sites ligados:

quinta-feira, 12 de junho de 2014

GARGAZZONE: conjunto balnear

GARGAZZONE é um conjunto balnear de 12.000 m² no "Alto Adige" entre Merano e Bolzano no norte da Itália. Sua piscina pública também tem 1000m² de área de natação.


De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) o cloro é considerado um pesticida, pois tem como único objetivo matar os organismos vivos. Segundo os dados da pesquisa, o cloro não mata somente as bactérias, mas destroi células e tecidos dentro do nosso corpo. Pesquisas também citam o cloro como um subproduto denominado Trihalometano (THM) que é 300 mil vezes mais cancerigeno que o DDT.

Desde 2010, Gardazzone é um belo exemplo de ação publica sustentável. Confira!




quinta-feira, 5 de junho de 2014

MERCALLO: Biopiscina pública

A biopiscina pública de Mercallo, perto de Varese e ao norte de Milão, tem uma área de natação de 1000m² e faz parte de um "Villaggio ecológico". É um ecossistema cuja depuração da água acontece com a interação de plantas aquáticas, fitoplânctons e "zooplânctons", circulação constante da água por filtros vegetais e ainda de limpezas mecânicas.

Chega de pele seca, de irritações cutâneas, de cheiro de cloro na pele e nos cabelos, chega de olhos avermelhados. Experimente colocar num copo de água uma gota de cloro e um fio de cabelo e veja em quanto tempo ele some! Sinta o prazer de nadar numa piscina "viva"!!





segunda-feira, 12 de maio de 2014

VIA CENNI: Construção Social em Madeira

Em novembro passado foi inaugurado em Milão na via Cenni o maior exemplo de “housing” social da Europa totalmente construído em madeira.





O conjunto é formado por 4 torres de 9 andares (27 m de altura), 123 apartamentos de 70 m², praça multifuncional, quadras esportivas, espaço de uso comum como lavanderia e espaços comerciais de 75 m², com área total de 11.130 m² e custo global de 21,7 milhões de euros. A técnica construtiva utilizada é a do sistema X-LAM: painéis de madeira maciça colados e cruzados que formam as paredes e pisos sem o emprego de pilares.





A obra recebeu certificação de desempenho energético classe A, o que significa que toda energia gasta para sua manutenção é inferior a 30 Kw/h/m²/ano. Ou seja, o isolamento térmico e acústico com uso de madeira, o aproveitamento de painéis fotovoltaicos e painéis solares e a utilização de água de reúso proporcionam um gasto energético menor ou igual a 30 Kw/h/m²/ano. A economia calculada de CO2 foi de 12.000 toneladas. O projeto é de Fabrizio Rossi Prodi vencedor de concurso internacional.

Os apartamentos foram destinados a pessoas que não conseguem satisfazer suas necessidades de moradia pelo mercado tradicional. Alguns requisitos foram o de ter uma renda máxima de 40.000 euros ano e mínima que chegue a 3 vezes o valor do aluguel de 450 euros/mês.



Veja mais nos links:

http://www.makbuilding.eu/via-cenni-milano/

http://www.legambiente.it/sites/default/files/docs/tutti_in_classe_a_2014.pdf

http://paesaggiourbanoweb.wordpress.com/2012-2/table-of-content-5-6-bis-2012/

terça-feira, 12 de novembro de 2013

EDIFÍCIO DE MADEIRA COM 42 ANDARES

Aos poucos se multiplicam pelo mundo as experiências  com edifícios  de madeira. Cada vez mais altos! Verdadeiros arranha-céus! Vale a pena ler esta experiência de um edifício de 42 andares projetado pelo escritório de arquitetura  "Skidmore, Owings & Merril" de Chigago.

O movimento a favor da construção de grandes edifícios em madeira, como alternativa ambientalmente amigável ao aço e ao concreto, foi reforçado por uma fonte incomum - uma importante empresa de arquitetura conhecida por suas torres de aço e concreto.



Mika Gröndahl/The New York Times

A Skidmore, Owings & Merrill, sediada em Chicago, projetou uma longa lista de arranha-céus, incluindo o One World Trade Center, na zona sul de Manhattan. Ela desenvolveu um sistema estrutural que usa a chamada "mass timber" (madeira massificada) - colunas e vigas grossas laminadas, feitas com pedaços menores de madeira. Em um relatório deste ano, a empresa mostrou como o sistema pode ser usado para um edifício residencial de 42 andares, que emitiria menos carbono em sua construção que uma estrutura convencional.

"Queríamos ajudar no lado da sustentabilidade", disse William F. Baker, sócio da empresa. Com seu sistema, cerca de 70% do material estrutural é de madeira. A maior parte do resto, incluindo a fundação, é de concreto.

sábado, 5 de outubro de 2013

Calderaria e forjaria de madeira na Suiça

Só a madeira é capaz de resolver a necessidade da construção e do combustível de aquecimento. O edifício com 48m de comprimento, 15m de largura e 12m de altura é constituído por elementos pré fabricados de madeira maciça e de “lamelado-colado”.

O risco de incêndio é controlado por soluções que garantem a resistência  mínima de 30 minutos e a uma carga térmica máxima de 140°. A madeira (acima de 800 kg/m³) queima a uma velocidade conhecida  de 1,5cm/ 0,5h e portanto é suficiente aumentar as dimensões da estrutura  em 1,5cm de cada lado para ter o tempo suficiente de combate do incêndio.

Os autores do projeto são os arquitetos suíços Pierre Bonnet e Christian Bridel.




sábado, 21 de setembro de 2013

PAVILHÃO DE ENTRADA DO SAVILL GARDEN WINDSOR GREAT PARK

O Savill Garden, propriedade da Coroa Britânica, situa-se dentro do domínio real de Windsor.

O edifício contem bilheterias, boutiques, cafeteria e lojas de jardinagem. Sua cobertura é formada por uma leve estrutura de rede de madeira (gridshell) maciça de 90m de comprimento com vão livre de 25m. Para contraventamento foram utilizadas placas de compensado que também suportam a cobertura. A parte final da cobertura é de lâminas de carvalho resistente às intempéries e que adquire a cor cinza prateada com o envelhecimento.

O projeto é do arquiteto Glenn Howells e construído em 2006.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...